19 fevereiro, 2008

AS DEZ VERDADES SUBLIMES A RESPEITO DE CAETANO VELOSO


É provável que vocês, leitores de vida social intensa, não tenham visto. Mas eu, cujas saídas mais empolgantes ultimamente têm sido ir do quarto ao térreo de elevador, assisti do começo ao fim ao “Som Brasil” com Caetano Veloso (atenção: este texto foi publicado no Sopa de Tamanco há cerca de um mês; ainda estou tendo sérios problemas para abrir caranguejos e ingerir cervejas geladas aqui no Recife para conseguir escrever), o que me levou a uma depressão de sete pontos na escala Werther.

Que seria, porém, do existencialismo francês, caso não houvesse a depressão? Bom, Sartre provavelmente não teria precisado comer Simone de Beauvoir, nem tampouco, na tentativa de dar um pé na bunda dela, se sairia com aquela história de que o homem está condenado a ser livre.

Mas esse não foi o caso e o fato é que a depressão é um grande motor do pensamento, graças ao qual, numa série de satoris só alcançados talvez pelo Dalai Lama após um ou dois baseados, consegui resolver as questões mais profundas a respeito daquele que é nosso maior ídolo baiano irmão da Maria Bethânia de todos os tempos.

A seguir, aquilo que você sempre quis saber sobre Caetano, mas tinha preguiça de perguntar, porque estava escutando o Chico mesmo e não ia se dar a esse trabalhão todo.

1. Quantos dentes tem Caetano?

Cientificamente comprovados, são 52. Mas há quem arrisque 103.

2. Por que, quando canta, Caetano segura os rins?

Idade.

3. É verdade que Caetano Veloso não existe, é apenas um disfarce meio esquisito do Fernando Henrique Cardoso?

Os defensores da Teoria da Simetria dos Egos afirmam que sim. Outros estudiosos discordam, assegurando que, o cabelo do Malan tudo bem, mas aqueles pulinhos do Caetano seriam demais até mesmo para o FHC.

4. Se Caetano já atingiu sua meta, que era superar Mick Jagger, ainda que fosse na ausência completa de senso de ridículo, por que ainda insiste em subir ao palco?

Para superar a Dercy Gonçalves.

5. É o sol sobre a estrada, é o sol sobre a estrada, é o sol?

Talvez seja, talvez seja, talvez.

6. Quem, além do ego e de um espelho, Caetano levaria para uma ilha deserta?

O João Gilberto. E, com algum sorte, um maremoto.

7. Qual a principal contribuição de Caetano para a cultura brasileira nos último cinqüenta anos?

Apesar de toda a crítica que se possa fazer a ele, a verdade é que sem Caetano o exercício labial aplicado ao canto estaria ainda hoje na Idade da Pedra.

8. Por que, quando canta, Caetano franze a testa sem parar?

Segundo pesquisas realizadas pela Casa Jorge Amado com apoio da Fundação do Afro-Dendê Eterno, a testa de Caetano é parte independente do restante do corpo e, como tal, a única a conservar intacto o senso de ridículo.

9. Existe em todo o universo algo mais patético que os sinais de metaleiro que Caetano faz com as mãos ao cantar rock?

Sem dúvida. Você provavelmente tinha saído da sala para ir ao banheiro quando ele tirou teatralmente o casaco jeans.

10. É verdade que Caetano é um intelectual?

Sim. Apesar de não ler a Veja, Caetano tem uma boa coleção de Capricho, além de ter sido dos primeiros assinantes da Caras em Salvador.

9 comentários:

Sergio Grigoletto disse...

Marconi!

Rá, você não falou das reboladas? E de antigamente, mas o espírito, continua.
E obrigado por sua visita ao Trivial. Vez por outra posto alguma coisa interessante por lá.

Abraços!

Sérgio

Gustavo Chaves disse...

pow, sacanagem com o pobre caê!
hahaha

Túlio disse...

E os beijinhos nos músicos?

Marcelo F. Carvalho disse...

PQP, Marconi! Adoro o Caê, mas tô rindo até agora. Muito bom!
________________________
Abraço forte!

Anônimo disse...

Ué, o Caetano é irmão da Bethânia? Pensei que fosse clone.
***
Acho que o Sartre não fez nenhum favor em comer a dona Simone B., mas sim ela sacrificou-se ao dar pra ele (vi uma foto dela pelada, nos tempos em que guampeava o filósofo com o Nelson Algreen. Coxoduzulda. Eu encarava).
PS: não vou assinar como meu nome porque sou um cagão, como bem sabes, e tenho medo de despertar a ira das feministas. Já que estou usando pseudônimo, termina com uma frase do Millôr dos bons tempos: o melhor movimento feminino ainda é o dos quadris.

Jens disse...

Legal, Marconi. Entendi tudo.
(Porra, estas férias não têm fim?)
Um abraço.

Magui disse...

Caetano, junto com outros nordestinos, abriu espaço para a música que não fosse a chatérrima bossa nova ou provindas apenas do eixo Rio São Paulo.Perseguido pelos paulistas e cariocas da ditadura ( que alijaram tb o rock e Elvis )pagou o preço e só por isso,pode fazer o que quiser. Eternamente.

Moacy Cirne disse...

Impagável. Para os caetanos e não-caetanos da vida e da sorte. Abraços.

Guilherme disse...

sacaneou geral.

hehuhsdufsdg