04 outubro, 2007

MACHISTAS


— E como é que tu faz pra ela gozar?
— Ah, simples: vassoura, espanador...
— Como é que é, cara? Tu enfia um cabo de vassoura ou um espanador no... na... enfim, na tua mulher?
— Claro que não, rapá! Tá me estranhando? Eu sou tradicionalista, um homem à antiga. Só pratico o sexo ortodoxo, referendado pela Igreja.
— Pra fins de reprodução ou com crianças, então?
— Muito engraçado. Agora, me admira tu, Ronildo, pensar uma coisa dessa. Sou da época em que ainda se usava o pinto nas relações sexuais, meu camarada. Naquele tempo, o crime ainda era criminalizado no Brasil.
— Ah, bom. Porque eu também sou assim. Essas invenções modernas... Por exemplo, o cortador de unha. Tem coisa mais imoral do que o cortador de unha?
— Indecente. Os casais não praticam mais hoje em dia o santo ritual da mulher cortando a unha do marido.
— E usando tesourinha.
— Tesourinha, claro. Isso era a base de todo casamento.
— Pelo menos dos sadios. Garçom, traz mais um chope! Mas que história é essa de vassoura e espanador? Não me diga que você tá ajudando a mulher na limpeza da casa agora! Porque uma vez eu namorei uma garota que gozava horrores quando eu... quer dizer...
— Peraê, peraê! Que é que tu ia dizer aí? Desembucha.
— Bom... eu... Uma vez! Uma vez eu ajudei minha namorada a lavar a louça.
— De avental?
— Sem! Sem avental! Olha pra mim, tu me conhece há anos, Geniberto. Sou lá homem de usar avental! Não, não. O máximo que eu me permiti foi usar luvas de borracha.
— De que cor?
— Rosa.
— Uhmmmm...
— Qual é, cara? Eu sou macho. Muito macho. Mas não a ponto de meter minha mão naquela nojeirinha que fica no ralo quando a gente acaba de lavar a louça. Garçom, traz mais um chope!
— Concordo. Até a masculinidade tem seus limites. Aquela nojeirinha nem o Chuck Norris.
— Será? O Chuck Norris não sei não, hein? Um homem de bigode e tudo...
— Sem luva? Duvido.
— Ah, sem luva nem um senador metia a mão naquela sujeira.
— Pior do que isso só mesmo limp... a... e... Tu acha que chove hoje?
— Epa, epa! Vamo falando. Eu confessei do avental... digo, eu confessei ter lavado a louça. Entrega. Pior do que isso é o quê?
— Tudo bem. Vou te dizer porque te considero como um irmão. Sei que tu é de confiança, parceiro de fé. Toca aqui. Isso. Bom, a verdade é que, certa vez, eu...
— Como?
— Eu disse que teve uma vez que...
— Não ouvi.
— PASSEI PANO NOS MÓVEIS! Hum... ham... Passei pano nos móveis.
— De touca? Garçom, traz mais um chope!
— Que touca o quê, malandro! Me respeita. Touca! Um avental, no máximo.
— Aha! E tava sacanenado o meu avental com estampa da Penélope Charm... digo, e tava me sacaneando!
— Uma coisa é o sujeito usar luva rosa, outra muito diferente é avental. Avental é uma coisa máscula. Os romanos usavam avental. Tu mesmo disse pra mim outro dia.
— “Vestal”, Ronildo! Eu te disse que eles usavam “uma vestal” e não “um avental”. Vestal eles usavam. Mas na Antiguidade podia: ainda havia virgens. O que não é de estranhar, pois eles também usavam efebos...
— Ah, não enche. Avental é coisa que todo mundo usa.
— É verdade. Em São Francisco, então, diz que é uma febre. Agora, tu vai me ajudar ou não vai? Me conta de uma vez essa história de espanador, pô!
— Melhor mesmo, a conversa já tá boiolosa demais pro meu gosto. Seguinte, nada mais simples: quando tu tiver transando com ela, pede pra ela enfiar o espanador.
— Ué, mas tu não disse que não enfiava o espanador na tua mulher, bicho?
— E não enfio, óbvio. Sou tradicionalista, rapaz, já disse. É ela que enfia em mim.
— Ahn... E funciona?
— Cem por cento.
— Garçom, traz a conta!
.
(ANTES DE COPIAR E COLAR ESTE TEXTO ONDE QUER QUE SEJA, PARE, PENSE DUAS VEZES, PULE UMA CASA, PENSE MAIS TRÊS VEZES, REBOBINE A FITA E PENSE DE NOVO. OS TEXTOS DESTE BLOG ESTÃO DEVIDAMENTE REGISTRADOS NA BIBLIOTECA NACIONAL. PARECE INCRÍVEL E TALVEZ JÁ HAJA NO BRASIL UM MOVIMENTO CONTRA ESSA ARBITRARIEDADE, MAS POR ENQUANTO PLÁGIO AINDA É CRIME PREVISTO NO CÓDIGO PENAL. É VERDADE QUE ESTRANHOS FENÔMENOS DE CRÔNICAS APARECENDO PRONTAS EM COMPUTADORES NOS MAIS DIFERENTES RECANTOS DO PAÍS VÊM SENDO RELATADOS. MAS, AVISO AOS CRENTES: ESTE BLOG É ATEU. EM MATÉRIA DE RELIGIÃO, SÓ ACREDITA MESMO NO MALUF E NO PAPAI NOEL.)

20 comentários:

Eduardo "Bloom" Mineo disse...

Por falar nele, o Maluf está no hospital. Oremos.

Ah, plágio do Catarro Verde. =]

Paulo C. Nascimento disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paulo C. Nascimento disse...

Marconi, não diga uma coisa dessas... vai que o Maluf resolva ressuscitar no terceiro dia?!

Carlos (a.k.a. Dogmático) disse...

Hahaha, conheço sujeitos assim, que são tão machos, tão machos, que se ficar mais macho desmunheca hehehehe!

Olha, no Papai Noel eu até acredito, mas nesse tal de Maluf, sempre achei que fosse lenda urbana!

E cuidado, dessa vez grampei bem o texto no seu blog para ele não sair voando por aí, vai que cai na mesa de algum jornalsta? Se bem que alguns não estão familiarizados com o termo espanador, eu mesmo é a primeira vez que ouço esse verbo (verbo, né?).

Abraço!
Carlos

Gabriel Ramalho disse...

Marconi, o texto todo está muito bom, mas tenho que dizer que a melhor parte de todas é mesmo o Post-Scriptum! :D hahaha
Bem sucinto e direto! :D

Serbão disse...

sacanagem, Marconi. este texto - maravilhoso como sempre - é meu. eu ia publicar domingo!!!!

adelaide amorim disse...

Mais um texto tentador, Marconi, se é que você me entende. Qualquer dia te plagio descaradamente e quero ver o sucesso de meu ato. Na certa terei quinze minutinhos de fama exacerbada, o que já implementaria a venda de meus livros e uma indicação pra participar do BBB9 (ou que número tenha).
Sem brincadeira, estou muito feliz com o desfecho desse episódio. Também gosto do Fausto, estava meio triste com essa bobagem dele. Mas em vez de diminuí-lo, acho que a atitude de vocês engrandeceu a ambos. Parabéns, Marconi. Beijo comemorativo.

Jens disse...

Tarefa doméstica é comigo mesmo. Limpo e dou brilho. Tiro o pó, aplico lustra móveis, encero o chão, lavo a louça... Deixo a casa um brinco. Encaro até mesmo limpeza de banheiro. Sério, só não sei cozinhar. Estou pensando em faturar alguma grana, oferecendo meus serviços para donas de casa com coisas mais interessantes para fazer.
***
Estou pensando em copiar as tuas melhores crônicas, a partir de hoje, e, por esta época, no ano que vem, lançar um livro que será certamente um dos mais vendidos na Feira do Livro que se inicia brevemente. Não te importas, né?
Prometo que te mando um percentual simbólico da grana que faturar. Não sou mesquinho.
***
O imbróglio foi contigo, mas eu também fiquei de ressaca. Tô num baixo astral do c...
***
Um abraço cansado.

anita disse...

boa volta!

A.

caju disse...

Adorei o seu blog! Mesmo! Os textos são inteligentes e divertidos.
(...)
Eu vi o plágio que fizeram... absurdo! O seu aviso (para os "espertinhos de plantão" foi mais que válido.
Um bom abraço.

Simone

Loira Carioca disse...

hahahaha... Adorei! Fiquei muito feliz em ter o prazer de conhecer vc! Ou seja, seus textos... Maravilha! quem sabe assim eu me inspiro...
* Há! E quanto aos 'rapazes' conheço alguns assim, mas usar o espanador eu não usaria não, mesmo se ELE me pedisse! rsrsrs...
beijos

Serbão disse...

Mark, não resisto e comento aqui embaixo - o assalto revisitado ficou ainda melhor que o original. pelo menos alguma coisa boa saiu de todo esse caso...

GUGA ALAYON disse...

Mark, não resisto e comento aqui embaixo - o assalto revisitado ficou ainda melhor que o original. pelo menos alguma coisa boa saiu de todo esse caso...

Serbão disse...

Gugala, sacanagem: vou divulgar teu endereço na avenida Pacaembu!!!

GUGA ALAYON disse...

Gugala, sacanagem: vou divulgar teu endereço na avenida Pacaembu!!!

Milton Ribeiro disse...

Rapaz, me atrapalhei todo. Como li teu e-mail só sexta-feira, pensei que o post-Alayon sairia na noite de sexta para sábado. Me atrapalhei... É um dia atípico: imagine que minha mulher escreveu o Pq Hj é Sábado...

Anônimo disse...

Fiz uma referência a teu post lá, OK?

Sono, muito sono.

M. Ribas.

petista disse...

Se você postou na internet, na prática o texto passa a ser de domínio público. Há pessoas que, simplesmente, para impressionar amigos ou um(a) namorado(a), copiam e colam sem se incomodar em incluir o nome do autor. Sem qualquer maldade.

Marconi Leal disse...

Pois é, meu caro Petista. Tem gente que também compra um DVD pirata sem a menor maldade, só pra presentar um namorado ou namorada. Acho uma tolice esse negócio de lei, sobretudo o artigo 184 do Código Penal. Na Idade da Pedra mesmo não tinha isso e a humanidade vivia muito bem.

Eduardo disse...

Epa!
Ô, petista, o que é publicado na net não é necessariamente de domínio público!
O texto não foi postado originalmente com assinatura? Ou seja, num sítio autoral.
Não tem menos do que os não sei quantos anos da sua publicação?
Então não é domínio público, não.
Esse petista malufou, Marconi. Essa história de "na prática" tá na chuva é pra se queimar tá com cara de estupro solicitado. Botou mini-saia, marmanjo estupra com razão.
Aliás, alguém sabe se o Maluf é corinthiano?