24 agosto, 2007

DIÁLOGOS GREGOS


— Ela me trocou por um medo besta.
— As mulheres são assim mesmo, covardes.
— Covardes?
— É, cheias de temores tolos.
— Que se danem os temores, rapaz. Eu não queria era ser trocado por um persa!

.....................................

— Aquele cara já foi Safo.
— Pois pra mim ele nunca passou de uma toupeira.
— Não, não, já foi Safo, a poetisa.
— Pô, cara, lá vem você com esse papo de transmigração das almas de novo!

.....................................

— Que cara é essa? Por que cê tá assim, Eurípides?
— Bicho, não queira nem saber. Minha vida é uma tragédia!

.....................................

— Isso são horas? Meia-noite e você na rua, pelos banquetes da vida! Pode me dizer ao menos onde é que o senhor estava?
— Zó zei... hic... que nada zei, Jantipa.

.....................................

— Dá pra apagar a luz?
— Não.
— Por Zeus! Eu quero dormir!
— Psss. Tô à procura de um homem virtuoso, mulher.

.....................................

— Muito bem, pessoal, são milhares contra milhares. Quem conseguir pegar a mulher primeiro, vence.
— Então, é isso aí. Que vença o melhor.
— Digo o mesmo. Só mais uma coisa: não vale flechada por trás.
— Combinado.

.....................................

— Uhm... Que ombros largos!
— Você ainda não viu nada, neném.
— Ai, gostoso! Sou toda tua!
— Tira essa roupa que eu vou te levar do mundo sensível ao inteligível, já, já!

.....................................

Era virgem, não é mais.
— Perdeu a virgindade?
— E a vida.
— Ué, mas quem comeu ela, afinal?
— O Minotauro...

15 comentários:

Moacy Cirne disse...

Os clássicos gregos continuam sendo sua leitura preferencial, né? O melhor de tudo, para nós: antropofagicamente, nos são "devolvidos" através de pequenas histórias ou de breves diálogos. Um abraço.

luma disse...

hahahaha ótimos converses!!
Do inteligível é um apanágio de poucos.

Contei aquele segredo pra todo mundo lá no "Luz"! Espero que não se aborreça! E não gostaria que o Jens fosse o último a saber!

Bom fim de semana! Beijus

Gustavo Chaves disse...

Rapaz, é um grande problema a grécia viu, com seus grandes desportistas como sócrates, que batia um bolão!!!

edu disse...

Você tá falando grego...

Rafael Reinehr disse...

Hohoho! De onde você tira tanta inspiração? Será que será da Caixa de Pandora?

adelaide amorim disse...

Calúnia! Sócrates só bebia cicuta ;))) bjins.

Blogue da Magui disse...

Muito bom.

Yvonne disse...

Marconi, você tá se superando mesmo. Beijocas

Marco disse...

Graaande Marconi! Rapaz, fiquei um mês sem computador! O PC deu um piripaque que o suporte não conseguia descobrir. Graças a Zeus, tudo voltou ao normal. Olha, li o seu livro. Excelente! mas acho que você deveria escrever um outro só com estes textos sobre gregos. Rapaz! No "Clássico dos Clássicos" você se superou! Se o pessoal do Monty Pyton ler isso eles voltam a fimar e usam como roteiro! Você é bom, Marconi. Muito bom. Eu não gasto elogios à toa.
Bom estar de volta. Excelente estar aqui. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

Ane Brasil disse...

Marconi, meu bruxo, nem tenho palavras.
Sorte e saúde pra todos!

Nilson Barcelli disse...

Estes diálogos gregos são de mais... fartei-me de rir...
Bfds, abraço.

sandra camurça disse...

Puxa, preciso ler mais os gregos... De todo modo curti um bocado. Beijos.

Gustavo Chaves disse...

Juro que quase não entendo, foi por pouco, agora em relação as fofocas da blogosfera... aquela estória da tatuagem do JENS... aqui na bahia já vi gente morrer por muito menos! E não esqueça que jens é gaucho, portanto, cabra macho!

Marcelo disse...

kkkk comédia grega...rs rs rs!!!

abs

Sérgio D'Angio disse...

Marconi, como sempre, genial, to rindo até agora!