21 maio, 2007

VIGIAS (UM DIÁLOGO SWIFTIANO)



- Não acho um trabalho digno. Au. É aviltante. Au-au. Deviam colocar homens pra fazer isso.
- Pra vigiar nossas casas?
- Claro. Au. Por que nós temos que sofrer feito gente, quando podemos usar seres inferiores no serviço?
- Creio que o amigo ficou hidrófobo. Colocar animais como os humanos pra tomar conta de nossas famílias seria cometer cachorricídio. São seres sem o mínimo senso moral, au-au.
- E por acaso é preciso senso moral pra se vigiar uma casa, agora? Au-au-au. Coloca-se uma coleira neles, joga-se lá um pedaço de hambúrguer, um pouco de dinheiro numa vasilha e pronto.
- São seres muito violentos, cidadão. Será que você não vê que eles vivem em guerra o tempo todo?
- Então! Por isso mesmo. Au. Duvido que algum assaltante tentasse entrar em lugar protegido por tipos iguais a ele. Além do mais, só seriam soltos à noite, o resto do tempo nós os manteríamos em jaulas, e pronto.
- Já vi muitos desses bichos fugirem de celas. Não têm o intelecto desenvolvido, mas são engenhosos. Au-au. Quando se trata de esperteza, alguns deles chegam mesmo próximo da do macaco.
- Quanto exagero! Eles são bípedes, senhor Moreira! Bípedes! E não estou dizendo que os quero pra animais de estimação, não. Pra isso temos espécies mais bonitas e inteligentes, como a anta e o jumento. Acho apenas que devemos usar o potencial de cada um em seu todo: papagaios pra imitar, falcões pra voar, seres humanos pra matar, ludibriar, trair... Essas coisas.
- Tudo bem. Digamos que a gente fosse usar humanos pra segurança, certo? Me diga: como seria feito o treinamento dos homens de guarda?
- Nada mais simples. É uma manada que obedece com a maior facilidade. Veja os da raça brasileira, por exemplo. Vivem no pior dos mundos e, no entanto, são mais passivos que uma vaca.
- Peraí, mas além de empregar seres humanos, o senhor ainda por cima quer usar vira-latas?
- Qual o problema? São mais baratos, se reproduzem aos montes e ainda conseguem fazer malabarismos com uma bola, nas horas vagas, pra nos divertir.
- Você se esquece que, como os demais humanos, eles também são muito pouco confiáveis. Se o assaltante tentasse subornar o vigia, facilmente entraria na residência.
- Au. Não tinha pensado nisso.
- Pois é. Isso pra não falar nos horríveis sons que eles emitem. Au-au.
- Sons? Que sons?
- Nunca ouviu quando eles se põem a guinchar? Não sei exatamente o significado, mas parece ter relação com o ato sexual, au. São sons desconexos, algo como: “hojéfestanomeuapê”, “arerêrroquecomvocê”, “meuamorécanibal” e outros.
- Nossa, mas isso é insuportável! Au-au-au.
- Tem mais. Não escutam direito, não sabem babar muito bem e são tão toscos que crêem que foram feitos à semelhança de Deus!
- Não acredito! Deus? Sem pêlos, sem cauda? Com nariz? Ha, ha, ha!
- Exatamente. Au. E o pior é que...
- Não vai me dizer que eles não têm pulga?
- Pior, muito pior.
- Péra lá. Au-au. Você já tá me descrevendo uma fera, terrível em todos os aspectos. O que pode existir de pior nessas criaturas?
- A longevidade. Em alguns casos, podem atingir cerca de 100 anos!

19 comentários:

Ciça - Égua da Coluna disse...

U au au amigo... doeu até aqui essa mordida!

Gustavo Chaves disse...

sabe aquele negocio de quanto mais conheço os homens, mais eu gosto dos cachorros?
acho que você leva isto muito a sério.

bom texto!

Lidiane disse...

Pois é, somos tolos o bastante para viver 100 anos, dobrados, doloridos e querendo mais.
:/

Beijo.

Claudio disse...

Sempre admirei a inteligência canina.....

abs

Zeca e Nina, os cachorros do Jens disse...

Au, au, au, au, au!
Adoramos

F. Reoli disse...

E ainda dizem que NÓS é que somos racionais...rs
Abração

Márcia(clarinha) disse...

Sem mais latir despeço-me louvando esse canil, AUAUAUAUAUAUAUAU!!!!
Caraca! muito bom...
beijossssssssss

Leila Silva disse...

Olá,
Eu sugeri seu nome para responder a uma pergunta sobre leitura...veja lá no blog http://cadernos-da-belgica.blogspot.com/ e tente participar, ok?
Abraços

Jorge Sobesta disse...

James seu malandrão,

Depois tem gente que se arvora todo para dizer "Somos a imagem e semelhança de Deus."

Coitado do criador.

Grande abraço.

andrea disse...

animal farm, lembra? adoro e tenho medo, muito bom! vc mora em sp? bjs

Guilherme disse...

Conversamos uma língua parecida?!

Serbão Primata disse...

meu Deus - depois de ler este post caiu a ficha. eu sou um bípede, e brasileiro, portanto, um vira-lata!!!

adelaide amorim disse...

Merecidamente humilhante. Melhor ir aprendendo a latir com bom sotaque. Abraços, Marconi.

rogerio santos disse...

Ô Marconi, obrigado pela visita no meu blog !
Já dei altas gargalhadas lendo seus textos...

Abraços
Rogerio Santos

Moacy Cirne disse...

Meu caro, de forma atravessada, o seu texto me fez lembrar um antigo clássico da ficção científica americana: "Cidade" (1952), de Clifford D. Simak. Só que, na FC, não se trata de um texto humorístico, bem entendido. Em futuro longínquo, não determinado, a raça dominante sobre a Terra é a canina, cujos membros (alguns deles) discutem se os seres humanos existiram ou não. Muitos acham que o Homem não passa de uma invenção da mitologia canina; ou se existiram não teriam sido inteligentes, já que parece-lhes impossível que um Ser Inteligente pudesse viver em cidades (narradas nas lendas) ou, pior ainda, participasse de guerras absurdas para a inteligência dos verdadeiros seres dotados de atributos superiores - os cães.

GUGA ALAYON disse...

andrea, 'Revolução dos bichos ' total, pelo menos deixou o melhor amigo dos cachorros no seu devido lugar.

Marconi Leal disse...

Infelizmente, Andrea.

Marco disse...

Caro Marconi,
Este seu texto é lapidar. Dos melhores que você já escreveu. Parabéns mesmo!
Carpe Diem.

Kah disse...

Muito bom, imagine a gente de guarda prá cachorro.Mas num ponto eles tem razão,não somos confiáveis!!Beijos!!!