23 maio, 2007

PALÍNDROMO



- A culpa é sua. Você leva tudo ao pé da letra, Olegário.
- Letra não tem pé, Ana Lana.
- Viu? É isso o que eu tô dizendo.
- Não, você tá dizendo que letra tem pé. Eu é que...
- O que quero dizer é que você leva tudo no denotativo, Olegário.
- Epa! Aí, não, hein! Denotativo em que mamãe passou talquinho...
- Presta atenção, Olegário, pelo menos uma vez na vida. Você tem que entender uma coisa simples. Muitas vezes as palavras têm duplo sentido, compreende?
- Palíndromo.
- O quê?
- Quando a gente pode ler uma palavra ou uma expressão nos dois sentidos: da direita pra esquerda ou da esquerda pra direita. Por exemplo...
- Olegário!
- Não, Olegário não é um palíndromo, Ana Lana.
- Não, animal!
- Lâmina.
- Como é que é?
- Lâmina, animal. Um palíndromo perfeito.
- Olegário! Não é disso que eu to falando! Vê se entende. As coisas, Olegário, elas têm sentido figurado e não apenas o lato, percebe?
- Obecrepeuqoralc!... Digo, claro que percebo!
- Ah, é? E por que agora há pouco, quando a Carla Regina, cansada de ouvir tuas brincadeirinhas sem graça, te pediu um tempo, tu imediatamente, muito sério, ligou o cronômetro do relógio, Olegário?
- Como é que eu ia saber? Ela não se explica! Você sabe perfeitamente que eu não domino essas expressões novas.
- Nova, Olegário? Essa expressão é mais velha que o Cid Moreira!
- Mentira. É uma expressão, no máximo, do século XX. E o Cid Moreira...
- Eu tô usando uma hipérbole, Olegário! Hipérbole! É lógico que a expressão não é mais velha que o Cid Moreira. Nada é mais velho que o Cid Moreira, Olegário. Deus, talvez. Agora, o fato é que, em função da sua cretinice, a Carla Regina perdeu definitivamente a paciência. E achei muito bem-feito que ela tenha te dado aquele tapão no rosto!
- Com hipérbole ou no sentido figurado?
- No sentido lato mesmo, Olegário! Achei ótimo. Só assim tu aprende. Como é que pode, Jesus, a pessoa ter nascido tão sem noção?
- Deus me livre. Isso é até pecado, Ana Lena.
- Como?
- Eu disse que é até pecado isso de falar que Jesus nasceu sem noção.
- Jesu... não... Ah, deixa pra lá, Olegário. Vamo embora da festa que é o melhor que a gente faz. Chega de vexame por hoje. Vem. Vamo esticar as pernas.
- Tudo bem.
- Olegário! O que é isso?! Levanta desse chão, Olegário! Não basta o que você já fez? Quer me matar de vergonha fazendo alongamento no meio da sala?!
- Ué, não foi você que di...
- Vem! Agora! Vamo! Em casa a gente discute. E de fininho, por favor, que eu não quero me despedir de ninguém. É incrível. Contando, ninguém acredita. O homem parece que vive no mundo da lua. Podia dar aula disso!... E então, não vai dizer nada?
- Aula da lua... Belo palíndromo!

25 comentários:

Silvio Vasconcellos disse...

Pois há quem passe a vida a procura de anagramas e esquecem-se dos sentidos contidos no verso do verso de cada palavra. Falar nisso tem maratona em Porto Alegre essa semana.
Anotaram a maratona?

Edilson Pantoja disse...

Alô, Inocram!
Ih, rapaz... Pelo jeito, Olegário é contagioso!
Textos sempre inteligentes, meu caro. Abraço!

Jens disse...

Se mostrando, hein Marconi?
Exibido!
***
Uma boa notícia pra ti: um tubarão-fêmea reproduziu em cativeiro sem ter relações sexuais. Já podes pensar na continuidade da espécie.

R.C disse...

Kct eu nem comento aqui pq eu rio tanto q tenho q fechar o windows pro chefe nao me demitir haha

abrax

RF

R.C disse...

Especialmente do comentario do Jens hahahaha

Claudio disse...

Coincidentemente hoje falei sobre trocadilhos, um assunto irmão do seu post.

Muito bom. Como sempre.

abs

Anita disse...

Marconi,

eu leio o teu blógue direto por três razões:

1. é engraçado. Só isso já bastava. é um dos poucos.
2. geralmente tem palavra nova que eu, a tal da professora de português - mas sou aqui nos Estados Unidos, não conta - desconheço. Aí vou aprendendo. hehehe
3. às vezes faz pensar. hahaha. você recebeu o tal do thinking blog something? Merecia.

GUGA ALAYON disse...

ahahahahahahahahahahahah. Faltou só um 'a' pra vencer sua palindromice.
abççba

zealfredo disse...

Muito legal. Tem certeza que não copiaste LFV? Se é que isso é um elogio para ti... :))

[]

adelaide amorim disse...

Como sempre, você consegue se superar a cada post que passa. E o pior é que o Olegário existe e já fui apresentada a ele. Juro. Agora imagina isso tudo na real :o)) Um abração.

Alexandre Pinheiro disse...

credo ...
não tenho capacidade nem pra comentar
simplesmente demais ....
grande abrasssss

DO disse...

Sempre otimo ,MARCONI,heheheh...
Saudades daqui.
Abração!!

Franciel disse...

Marconi,
como diria o menino Odorico Paraguaçu, no terreno da corrupção o Brasil é um país genuinamente palondrimístico. Aqui, sempre "a mala nada na lama" e "a breve verba" nunca satisfaz o apetite desta galera do mal.

Franciel disse...

Palindromístico, Franciel, Palindromístico, era o que diria o prefeito de Sucupira.

edu disse...

Olhaogalho, Olegário!

Claudio Costa disse...

Muito bom, Marconi. Além de "inventor", és palindromista?

gui disse...

Marconi,
Pra variar vc deu um show!
Um abraço.

Sandra disse...

Dio santo! Mas que cara chato!!!!

Beijos

Marco disse...

Grande Marconi,
“Ana Lana” é um palíndromo e eu fiquei esperando que o Olegário falasse isso e não falou. (Foi de propósito, para a gente perceber e se sentir espertinho? Ah, muleque! Ré, ré, ré...)
Carpe Diem.

Kah disse...

peguei o palimdromo da Ana Lana,hehe...você foi sutil...Caraca, como eu me divirto vindo aqui, chega a me doer a bochecha, de tanto dar risada!!Beijos!!!

GUGA ALAYON disse...

Prefiro a Ane Lena. ahahah

Vinícius disse...

Pô, Marconi, brilhante como sempre. E vc sempre tem esses personagens casal-encrenca... Hhahaha.. abs.

Yvonne disse...

Marconi, já está virando lugar comum eu elogiar essas suas histórias maravilhosas. Querido, eu quero comprar o seu livro. O que devo fazer? Beijocas

F. Reoli disse...

Eita nicho de vida inteligente esse aqui, amigo escriba... Abração e bom finde!!!

Serbão Oãbres disse...

ótimo, é o Mito!!!!