24 maio, 2007

NO ESCRITÓRIO DE PATENTES



INVENTOR: Bom dia. Pra registrar idéias é aqui?
FUNCIONÁRIO: (descontraidíssimo) Não tenho a menor idéia. Ha, ha, ha! Essa foi ótima.
INVENTOR: (seriíssimo) Ahn?
FUNCIONÁRIO: Desculpe. É a falta de alguém pra dialogar. A última idéia que registraram por aqui foi a corrupção no Brasil. Ha, ha!
INVENTOR: ???
FUNCIONÁRIO: (limpando a garganta) Perdão. Em que posso ajudar? Vejo que o senhor tem uma pasta recheada aí, não?
INVENTOR: Ah, são projetos.
FUNCIONÁRIO: Posso ver?
INVENTOR: Pois não. (sacando um papel desenhado da pasta) Esse aqui é o primeiro. Trata-se de um dispositivo para impedir que a água da chuva nos molhe, olha aqui. Tem esse cabo e um aparato de tecido em cima, esticado por pequenas varetas. Quando a gente aperta nesse botão, o...
FUNCIONÁRIO: O senhor tá brincando?
INVENTOR: Como?
FUNCIONÁRIO: Meu senhor, isso que o senhor inventou é um guarda-chuva!
INVENTOR: Desculpe, mas o nome do invento é repele-água. Eu mesmo...
FUNCIONÁRIO: Amigo, isso aqui é um guarda-chuva. Deve existir desde que Roma invadiu a Bretanha!
INVENTOR: Olha, não me leve a mal, não, mas quando o senhor inventar alguma coisa, o senhor chama de guarda-chuva, tudo bem? Por ora eu prefiro esse nome. (para si) Guarda-chuva, puf! (para o funcionário) Bom, aqui, temos esse outro... Vê esse plano circular? Pois muito bem, colocam-se dois desses na vertical e uma barra como eixo, entende? Daí, então, o que é que temos?
FUNCIONÁRIO: A roda?
INVENTOR: Não, trata-se do Mecanismo Para Rolagem de Objetos ou MEPRO, para os íntimos. Isso aqui vai provocar uma verdadeira revolução no mundo, acredite. Imagine que, com este meu invento, não será mais preciso empurrar ou carregar as coisas, mas simplesmente...
FUNCIONÁRIO: Vem cá. Tu tá me tirando, ô cara? É pegadinha?
INVENTOR: Como?
FUNCIONÁRIO: Tu quer me fazer de palhaço, rapaz? Eu tô perdendo a cabeça contigo!
INVENTOR: Ah, por falar em perder a cabeça, olha aí. (apontando para mais um desenho) Tcharan! Que acha?
FUNCIONÁRIO: Nossa! Um aparato para cobrir a cabeça?
INVENTOR: Puxa! Como o senhor adivinhou?
FUNCIONÁRIO: Intuição. Quem sabe o senhor não o batiza de “chapéu”?
INVENTOR: Não, prefiro...
FUNCIONÁRIO: (vermelho de raiva) Sai daqui, rapá! Sai daqui agora ou eu vou tomar uma atitude!
INVENTOR: Como?
FUNCIONÁRIO: Tá surdo? Sai ou eu não me responsabilizo! Tu tá me fazendo perder tempo!
INVENTOR: Estava! Porque, olha aqui... uhm-hum! (apontando para outro desenho) Com este pequeno aparelhinho, o senhor será capaz de contar segundos, minutos e até horas inteiras. Não acredita, né? Veja, isso aqui se chama ponteiro e...
FUNCIONÁRIO: (apanhando um copo de água de cima do guichê e atirando na cara do inventor) Eu avisei, não avisei?!
INVENTOR: (olhando para o funcionário, indignado) Mas o que significa isso?
FUNCIONÁRIO: MEPEL. Mecanismo Para Expulsar Loucos. Gostou?
INVENTOR: (pulando o guichê e se atracando com o funcionário) Safado! Você roubou minha idéia!

36 comentários:

cilene disse...

rsrsrs...esse ai e louquinho da Silva..

luma disse...

tcharam!! Cheguei na hora certa! Tenho um excelente abraço de pulso, une dois pulsos por apenas uma corrente super segura. Ah! Pra soltar usamos uma chave...

Bom dia !! Beijus

Sergio disse...

olá, Marconi!
Como sempre, muito engraçado...tô de computador novo...amanhã sai o primeiro post da nova safra, contando a viagem ao Rio e ou encontrro com alguns blogueiros.

um abraço

Jens disse...

Patente pra mim é o lugar onde a gente vai aos pés. Exemplo:
Mamãe pergunta para Marconinho:
- Já foi aos pés filhinho?
Com a expressão aflita e mãozinhas rechonchudas na barriga, o obeso Marconinho, vulgo Bueiro, responde:
- Manhê, tô indo na patente agora, manhê.
Ao saber da notícia o dono da venda (armazém) da esquina providencia imediatamente um reforço no estoque de purificadores de ar.
***
Por aqui quando alguém diz que vai tomar uma atitude encaminha-se ao bar mais próximo e entorna uma barrolda ou, na falta desta, uma pinga com limão. (Eu, como sou um sujeito fino, prefiro, assim como falecido Faulkner, o uísque de milho fabricado no Kentucky).
***
Outrossim, comunico que nada tenho a ver com as manifestações da Dra. Marilda Genoneva publicadas na Toca. Temo, entrentanto, que o affair vá terminar nas barras dos tribunais. Quem avisa amigo é.
***
De minha parte estou coligindo os dados que coletei junto ao teu amiguinho Ananias e outros convivas do teu insólito (para usar um adjetivo brando) casamento.
***
Como tenho que trabalhar para garantir o pão, a cerveja e os aperitivos de cada dia, despeço-me atenciosamente.
***
Recomendações à família. Passar bem.

a dama da livre poesia disse...

ei marconi! adorei a visita e muito mais esta historinha. um beijo!!!

Claudio Costa disse...

Já tinha lido "Um homem sem qualidades", ótimo livro. Mas "um homem de idéias usadas" é a primeira vez. Aliás, acho que vou inventar um sistema de publicar textos, com espaço para comentários, fácil de editar, colar figuras, circular pela internet, etc. Tem "sugestã" de nome?

CONDE MOAI disse...

Rapaz.
Por que demorou tanto para aparecer?
Vá até o www.apoenicos.zip.net e deixe seu email. Preciso lhe vender algumas idéias!
Saudações,
MOAI

Halem Souza (Quelemém) disse...

Bastante inventivo, o seu texto. HÁHÁHÁ(pra dar uma de funcionário engraçadinho). Um abraço.

Marco disse...

Grande Marconi,
Você acaba de inventar um SIMIJA: Sistema Marconiano Internacional de Juramentar Anedotas. O que você está esperando para patentear este invento? O tal funcionário nem vai achar estranho. Carpe Diem.

Anônimo disse...

É uma delícia a hora que eu leio suas crônicas.

Ophélia
Again and Again

Márcia(clarinha) disse...

Sim, meu amigo, uma despedida. De sofrimento não posso fazer minha brincadeira, beijosssssss

Kah disse...

É maravilhoso poder vir aqui e ler tuas maluquices,hehe...O homem das idéias usadas,hehe...Ótimo,adorei ,como sempre,kkkkkk...Beijos, bom restinho de semana!!!

Vinícius disse...

Marconi, sempre brilhante. Voltanto a ler e comentar seus textos. Vinícius

Mônica Montone disse...

Bom fim de semana, moço :o)

beijocas

MM

Yvonne disse...

Caramba!!! Soltei gostosas e sonoras gargalhadas. Beijocas

adelaide amorim disse...

Acabam de me perguntar aqui do lado de que que eu tanto rio, parece doida. Abraços inventados agora.

R.C disse...

Donde oce tira tanta lenha pra queimar em contos cheirando a cravo, canela e outros perfumes?

abrax

RF

Meneau disse...

Ué, mas já que não se inventa nada de novo (a não ser novos jeitos de assaltar o erário) é só quebrar a patente do que já foi inventado. Ops, quebrar patente não, chama-se "licença compulsória" (que, no caso de remédios, acho justíssima).

Ótimo texto. Um abraço.

Claudio disse...

aplauso.... de pé.

abs

sandra camurça disse...

Excelente, Seu Moço! Eu sou contra patente, contra copyright,contra direita, contra-mão, contra-informação, contra-ideológica,contra-golpe, contra-cultura. Ufa, enfim, eu sou do contra, hehehe. Beijo grande, amigo.

Fugu disse...

Delícia pura ...
beijo você

Alexandre Pinheiro disse...

hahahahaha ....
(limpando a lagrima do zóio .. )

é uma mais de rolar de rir q o outro ..

dimais msm

abrassssss

Nilson Barcelli disse...

Mais um diálogo cómicoformidável.
Impossível não rir enquanto se lê os seus textos.
Bom fim de semana
Abraço

Serbão disse...

hehehehe - good sketch, Marconi! e aposto que o Inventor frustrado, chegou em casa, abriu o computer e criou o blog.

A Gata por um Fio disse...

Oi, Marconi...saberias me dizer onde consigo este mecanismo de "expulsar loucos"?...faz uma falta danada aqui...

Flávio disse...

Marconi, tá muito bom! Mas isso não é novidade... :) Abração

Edilson Pantoja disse...

De inventor e louco...
Abraço, Marconi!

Tina disse...

Marconi,

Ganhei a tarde! Adoro suas loucas e divertidas crônicas!

beijos querido e boa semana.

Rubens da Cunha disse...

obrigado pela visita, gostei deste texto. também to precisado de um expulsa-loucos. se bem que posso expulsar a mim mesmo :))

abraços
Rubens

sidnei disse...

Ótimo, ótimo!!!

Conde MOAI disse...

Raptaram o escritor? Escreva, meu Rêêêêêi!

benechaves disse...

Textos ótimos e que revelam uma criatividade exemplar. Parabéns!

Um abraço...

dácio jaegger disse...

Marconi,"nunca antes neste país", apareceu um inventor de tantos planos e mirabolâncias, como um certo torneiro. Pois enquanto lia o seu inventor lembrava-me dos nove dedos. Será que ele pulará algum guichê ou será um dia levado em camisa de força? Valeu! Abraço

Thays Landers disse...

ahhh...adorei!maravilhoso!
Não duvido que essas coisas aconteçam...

Ainda não conhecia teu blog,muito bom mesmo!

Anita disse...

marconi,
are you alive? ;-)

Silvio Vasconcellos disse...

Ins-pirado, hein, Marconi! Muito bom! Gostei daquela "desde quando Roma invadiu a Bretanha"... também não poderia imaginar um lugar melhor para necessitar-se de repele-águas. (rsss)

Amigo, também ando inventando... Depois de acabar com o uni-verso, criei um novo espaço que alia imagens, som, movimento e poesia:

http://videoeverso.blogspot.com

Enfrentando a inquietante paralisia que ocupa o verso da poesia


Te espero por lá!