09 maio, 2007

FLANELINHA



Senhores, a crônica de hoje, "Flanelinha", está no site do Culturando.com. Passem lá, leiam o texto e aproveitem para conhecer o primeiro site brasileiro totalmente desenvolvido para pessoas como eu, economicamente prejudicadas.

17 comentários:

Moacy Cirne disse...

Cara, sua crônica Flanelinha está ótima; vou encontrar uma maneira de reproduzi-la no Balaio. Humor e ironia, em verdadeiro exercício de metaliteratura. Um abraço.

Blogue da Magui disse...

Fui lá. A fantasia é livre.

Daniela Mann disse...

No meu blog há um presente à sua espera! ;)
Beijinhos

Flávio disse...

OK, vou lá dar uma olhada. Com a ressalva de que nós, economicamente espoliados, somos maioria absoluta no país! :)

Jens disse...

Criativo, Marconi, criativo. Em que nação se passa o fato narrado (uêba, essa foi boa!)?. No Brasil certamente não é. Cara, dei uma olhada no extenso comentário anterior, assinado com o meu nome. Aquele não sou eu. Ou pelo menos não sou eu de posse plena das minhas faculdades mentais, se é que me entendes. Não lembro de nada. Solidão, falta de conúbio carnal e perda do Campeonato Gaúcho dá nisso. Fechamos o jornal hoje (caixinha, obrigado!) e já iniciamos o próximo - vamos entrevistar o Arnaldão. Viver é escrever.
Um abraço.
(O Ananias vem aí).

GUGA ALAYON disse...

absolutamente ótimo!

Moacy Cirne disse...

Meu caro: o Flanelinha foi parar no Balaio, como, aliás, eu já anunciara. Um grande abraço.

ACANTHA disse...

Ai, Marconi... Discordo do Moacy... Não vi humor no texto, só tristeza.
É triste como os atuais guris, pedintes em semáforos daqui do "interior", que chegam nos vidros do carro levantando as camisetas puídas, para que se veja que não estão armados...

F. Reoli disse...

Marconi, tú é um dos melhores escrevinhadores "CRÔNICOS" que QUASE-conheço..rsrsrs
Abração

Franciel disse...

É por estas e outras que, ao avistar estes flanelinhas, as candidatas a miss fecham logo o vidro elétrico.

sandra camurça disse...

Li a "Flanelinha" no Balaio, excelente, Seu Moço. Você viu o blogue poema/processo do Moacy. Beleza pura, não?

Beijo das Graças.

Halem Souza (Quelemém) disse...

Meu Deus, e se a moda pega? Eu só sei recitar "Batatinha quando nasce". E nem sei quem escreveu... Mas, peraí! Por que estou preocupado? Nenhum flanelinha real faz isso! Além do mais, nem carro eu tenho!

Excelente texto, Marconi. Um abraço.

Jean Scharlau disse...

Caprichaste nessa, hein Marcal - de certo andas escrevendo enquanto os donos dos carros não voltam do theatro.

sidnei disse...

Surrealíssima como só vc poderia ter escrito!!! Muito bom!

edu disse...

Marconinho quando nasce
Espalha a fralda pelo chão
Culturando se esquece
De mudar o endereço do seu blogão!

Gustavo disse...

Muito bom..

Saramar disse...

rssssssssssssss....
Surreal demais. Adorei, principalmente aquela frase que cita o Masp.
Só você, Marconi, meu ídolo!

beijos