03 abril, 2007

PELA IMEDIATA REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO DE IMITADOR DE PAULO FRANCIS


Dentre as deficiências do Estado brasileiro que se perpetuam ao longo dos tempos, creio que a mais grave é o governo não ter ainda, desde a última década, regulamentado a profissão de imitador de Paulo Francis.

É revoltante ver diariamente, em colunas espalhadas de Norte a Sul do país, heróicas e bravas hordas de imitadores de Paulo Francis, sofrendo para procurar citações eruditas no Google, buscando de maneira tocante afetar inteligência e conhecimento, sem que nenhum tipo de apoio governamental lhes seja prestado.

Sei que alguns críticos mais apressados e desprovidos de cultura, provavelmente dinossauros esquerdistas e marxistas empedernidos, insinuarão perfidamente que nossos imitadores de Paulo Francis não têm talento e que se assemelham, no todo, a rebotalhos do grande jornalista, o qual, se fosse vivo, estaria ridicularizando cada um deles, sem piedade ou exceção.

Ao que eu, mais estudado e atento, afirmo que esta suposta falta de habilidade na profissão de imitador de Paulo Francis é bastante compreensível e deriva, justamente, da ausência de regulamentação do cargo.

Ora, fosse a profissão regulamentada, acompanharíamos, sem dúvida, o surgimento de escolas que ensinassem a escrever e falar como o redator de O Pasquim, evitando assim que os pupilos do grande mestre traçassem ou pronunciassem palavras de conteúdo sofrível.

Não tenho dúvidas, por exemplo, de que nossos dinâmicos empresários contribuiriam alegremente para a construção de um Instituto Paulo Francis, dedicado ao ensino do raciocínio, da irreverência, da ironia, da gramática e de uma série de outros atributos necessários ao interessado em seguir carreira.

Enfim, estou certo de que se as leis brasileiras exigissem dos candidatos a devida formação intelectual e um imprescindível diploma, não veríamos aberrações como as com que tão constantemente nos defrontamos em blogs, jornais e revistas Brasil afora.

Deixo portanto, aqui, o meu protesto. E faço um apelo a que imitadores de Paulo Francis de todo o Brasil se unam em torno dessa nobre causa, talvez constituindo um sindicado da categoria, o SindFrancis, fórum adequado para lutar por seus interesses.

Falo apenas como leitor. Mas, pessoa sensível, compreendo ser preciso dar um basta nesta situação.

2 comentários:

eduardo disse...

não seria "Foro" adequado? waal!

Marconi Leal disse...

Poderia ser, sem dúvida. Ou qualquer outra palavra que tenha o mesmo sentido de "fórum", Eduardo.