04 abril, 2007

MAIS UMA GENIAL IDÉIA MINHA COMO CONTRIBUIÇÃO PARA O PROGRESSO DO BRASIL E A EVOLUÇÃO DA HUMANIDADE



Há momentos na vida em que o sujeito percebe que chegou ao fundo do poço. E há outros, muito piores, em que o sujeito não apenas se dá conta de que chegou ao fundo do poço como que o Latino também chegou ao fundo do poço junto com ele e está lá dentro tocando “Festa no Apê”.

Para alguns, como Sartre, a percepção da materialidade da existência é um ponto-chave da chegada ao fundo do poço (do francês “rapprochement du fond du poçô”). E o filósofo apresenta como uma das saídas para o problema a apreciação estética. O que, sem dúvida, é de uma abnegação invejável. Afinal, Sartre era zarolho.

Para outros, o instante que os deixa mais para baixo que os joelhos de Luis XIV é o da constatação da sua própria vileza. É o caso, por exemplo, de Macbeth. Não é o caso, por exemplo, dos congressistas em Brasília.

Quanto a mim, cuja capacidade filosófica jamais me permitiu ir além do “Freud em Quadrinhos” de minha adolescência e a de raciocínio é tão ampla quanto o número de neurônios no cérebro do Zeca Camargo, tenho o insight (do inglês “insight”) de que o fundo do poço está próximo e me pego meditando sobre a decadência humana sempre que preciso colher amostra para exame de fezes.

Trancado no banheiro, inteiramente nu, na clássica posição da galinha corcunda e tendo que acertar o cocô num pote de plástico estrategicamente colocado a poucos centímetros do reto, eu imediatamente excogito que a vida não tem o mínimo sentido e fico mais deprimido que um congresso de poetas românticos.

Diante, ou melhor, acima de um pote de laboratório para exame de fezes, creio que até um deputado do PP é capaz de criar sentimentos humanos e meditar um pouco sobre a nugacidade da existência e a carência de objetivos de nossa raça.

Na verdade, para ser franco, só vejo um único objeto capaz de gerar uma crise existencial de intensidade maior do que a provocada pelo pote de exame de fezes: a pazinha de plástico que acompanha o pote de exame de fezes e que serve para o sujeito que, tendo uma pontaria semelhante à dos pilotos americanos no Iraque, precise recolher para dentro o cocô que, porventura, tenha espirrado pelas bordas do recipiente.

Haverá por acaso atividade que inspire mais piedade e demonstre de maneira mais cabal a precariedade do homem do que colocar, com uma pazinha, cocô para dentro de um receptáculo? Bom, com exceção de ler a coluna da Eliane Cantanhêde, eu não conheço nenhuma.

E é assim que proponho, desde já, uma campanha nacional em favor de uma lei que obrigue todo cidadão que ocupe cargo eletivo a fazer pelo menos dois exames de fezes por semana.

Tenho certeza de que, com esta patriótica iniciativa, estaremos contribuindo para despertar a reflexão e o humanismo de nossos legisladores e dirigentes, assim melhorando as instituições democráticas nacionais.

Afinal de contas, a sociedade tem que fiscalizar o trabalho dos políticos. E o exame de fezes, em suma, é o exame do que eles fazem e vêm fazendo há séculos por todo o Brasil.

17 comentários:

Cabamacho disse...

Marconi, lembre-se de João Paulo II em sua mais famosa homilia: "Merda quanto mais mexe..."

Gustavo Chaves disse...

Esse blogspot é super chato, mas o texto continua legal!

sandra camurça disse...

Texto genial, Seu Moço, és um verdadeiro um estilista: escolher uma foto com o potinho de fezes cor-de-rosa foi realmente de uma delicadeza, ui ui ui... Ah, parabéns pelo novo blog. Puxa, és o terceiro amigo a fazer mudança esse ano , o primeiro foi Moacy do Balaio, depois Jens e agora és tu. Mas mudança dá um trabalho,né não? Mas me diga uma coisa, cê vai excluir o blog antigo ou vai mantê-lo como arquivo? Beijo.

Anônimo disse...

mas nao precisa fazer no pote, marconi, podia pegar só uma partezinha com a pazinha e colocar dentro dele...

Marco disse...

Bem, sempre há a possibilidade de você esculpir a cerâmica num vidro grande de Maionese, daqueles com boca bem larga. Só é um pouco complicado na hora de depositar o vidro cheio no balcão da atendente do laboratório...
Benvindo ao Blogspot. Vou já trocar o endereço no link lá no Antigas Ternuras.
Boa Páscoa. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

GUGA ALAYON disse...

Antes estar no fundo do poço do que esperando a luz do fim do túnel. Pelo menos no poço vc sabe qual direção seguir.
bem-vindo ao Blogsfole

Tina disse...

Oi Marconi!

O Blogspot as vezes dá cada baile na gente...(pelo menos em mim) mas você tira de letra. O tempo dirá.

beijos,

Jens disse...

Grande Marconi: antes de mais nada, um abraço pra "louca" do Nicomar, MD. Segundo: parabéns pela casa nova. Também estou pensando em me mudar, mas acho que a Toca ainda vai se aninhar por mais um ano no atual endereço, se o UOL deixar. Terceiro: tive um amigo que enfrentou problemas com o potinho e a pazinha. Resolveu o problema coletando o material (e bota material nisso!) numa lata de cera Cachopa (acho que não é do teu tempo). A recepcionista do labatório vomitou. Com razão.
Um abraço.
A Marisinha manda uma beijoca nas breubas.

Kah disse...

Que fofo o potinho rosa!!!Tõ dentro dessa de mandar político fazer no pote, por que fora deles já estamos cansados de saber que eles sabem!!!Que tua casa nova lhe traga tantas felicidades quanto teus textos trazem prá gente.Um beijo e bom restinho de semana!!!

Prof Toni disse...

boa a casa nova... começou bem, imagino que tal proposta poderia "estar sendo" encaminhada como proposta de emenda constitucional, a "nível de" legislação...

joice disse...

Ouvi dizer que inaugurar blog com post escatológico assim dá a maior M... SORTE!!!
Bem-vindo à vizinhança blogspot, já vou adaptar o link do Vozes do Sul e adicionar no Implicante. Valeu a visita e comentário.
beijo
joice

Claudia Cardoso disse...

Marconi, gargalhadas dou sempre que leio teus textos! Chego a chorar de tanto rir! Puxa, não sei se era isto que gostarias de saber, em se tratando de temas tão sérios. Mas como sou fã da Reader's Digest e do seu "rir é o mlehor remédio", não tenho como ser diferente! No mais, felicidade na nova casa.

Blogiana disse...

Manusear a propria merda, eh uma rima. Imagina as pobres analistas de laboratorio, escarafunchando merda alheia o dia todo?
E pensar que todo mundo caga... pensa naquela modelo maravilhosa, peitao, bundao, boca carnuda... agora pensa nela na pose da galinha corcunda...danou-se o tesao.

Jean Scharlau disse...

Tem coisas que merecem um peido.Esta merece muito mais!

Vinícius disse...

Genial!

Emmo disse...

Não li o teixto, mas goxxtei do leioute do blogue!!!

Abraços e felicidades na nova casa!!!

Ane Brasil disse...

Rapá, mas que filosofia de merda... (não pude resistir ao trocadalho do carilho...)
No entanto, considerando a concretude do indivíduo, enquanto ente despojado de sociabilidade (logo, de identidade coletiva) e levando em conta o ethos tropical sou obrigada a concordar contigo: dois exames de fezes por semana por cada parlamentar fariam do Brasil um país mais limpo.
(hei, peralá, mermão, pensando bem.... e se eles começarem a superfaturar o potinho? e se usarem a merda alheia pra burlar o exame? e se quiserem nomear um CC - algo do gênero: auxiliar júnior para excreção... e se criarem o ministério da defecagem?....
Sabicumé...
Sorte e saúde pra todos