10 abril, 2007

DECISÃO



- Eu disse “ahn-han”, Albérico, “ahn-han”!
- Pois é, foi justamente o que eu ouvi: “ahn-ran”. Ou seja: “sim, eu quero ficar mais um pouco”.
- Não, Albérico, “ahn-ran” significa “não, me leve pra casa imediatamente”, todo o mundo sabe disso. Eu já não agüentava mais aquele papo sobre futebol e a Matilde falando da irmã dela o tempo inteiro. Que gente mais chata!
- Então, devia ter dito “uhm-hum”. “Uhm-rum” é coisa certa. Se tivesse dito “uhm-rum” eu teria entendido.
- Eu não queria pastilha para a garganta, Albérico. Queria simplesmente desaparecer daquele lugar e entrar nesse carro o mais rápido possível!
- Nesse caso, deveria ter feito: fiiiu!
- Ahn?
- Fiiiu!
- Tá assobiando pra quem, Albérico? Tá me achando gostosa?
- Fiiiu! Assobio um pouco sustenido. Sinal claro de que algo não vai bem.
- Sem dúvida. Sobretudo no que concerne à tua cabeça. Fiiiu... Ha! Essa é boa!
- Obrigado.
- Quê?
- Eu agradeci. Obrigado.
- Albérico, “ha” é um som que expressa ironia!
- Não, “ha” é concordância. “Hum” é ironia. Ai, ai, ai!
- Ui, Meu Deus, que foi?! É a dor nas costas de novo?
- Não, enfado. Dor nas costas é “ai, ai, ai, ai, ai”, seguido, sem pausa. Será que dá pra gente mudar de assunto?
- Uhm-rum.
- Tá vendo? Depois sou eu que não paro de discutir.
- Eu disse “uhm-rum”, Albérico! Eu concordei!
- Ahn-ran.
- Entendeu?
- Uhm-rum.
- Assim não dá, Albérico! Nem eu mais sei o que é que eu tô falando!
- Viu como não é fácil se pôr no meu lugar?
- Chega! Eu não agüento mais discutir. Toda vez que a gente sai agora é a mesma coisa, toda vez! De hoje não passa. A gente precisa colocar aquela decisão em prática.
- A decisão? E nossas individualidades, Marina?
- Paciência. Casamento é abrir mão.
- Mas, será que a gente já tá maduro?
- É um passo e tanto, Albérico, mas é o caminho natural.
- Não sei, será?
- Não dá, Albérico, não dá mais.
- Mas, meu bem...
- Dessa vez, não tem mais saída. Albérico, a gente precisa padronizar as nossas interjeições.

18 comentários:

ACANTHA disse...

ha ha ha!!!! bjs.

Franciel disse...

Clap, clap, clap e clap.

Yvonne disse...

Realmente, tem que combinar com muita antecedência, né? rsrsrs. Beijocas

Blogue da Magui disse...

àss vezes é falta de educação mesmo.Não está prestando a devida atenção.

Jens disse...

Uhm-rum. Ou melhor, ahn-ram. Ou, talvez, fiiiu!

Milton Ribeiro disse...

Você toca no problema seríssimo e pouco considerado da semântica amorosa.

A Claudia, por exemplo, nega-se a entender os vários timbres de roncos emitidos por mim em nossos diálogos. Há os arrã irônicos e portanto falsos e que devem provocar riso, há os arrã de assentimento, há o ârrã (note bem o circunflexo!) que significa desconfiança. Enfim, há todo um colorido na semântica amorosa que minha mulher desconsidera.

Espero que sirva de consolo ao Albérico.

Halem Souza (Quelemém) disse...

Mudou de endereço mas não perdeu a verve, hein camarada?

Aliás, "hein", em todo esse imbróglio semântico, quer dizer o quê?

Um abraço.

edu disse...

E neste momento passa o R2-D2 pela sala, assobiando feito louco... :-)

Gustavo Chaves disse...

se eu gostei? hum-hum

bom texto cara

Ana Maria disse...

Às vezes, ser compreendido é a coisa mais difícil do mundo, né não? ;-)
Já adicionei o novo endereço aos meus favoritos.

sandra camurça disse...

Uhm...é...bem...ah...é...pode ser...ui...ai...assim assim...vai agora... vai vai, olha a zaga, olha zaga...OOOOH...Putz, meu Santinha vai mal mermo. Bjs!

Kah disse...

kkkkkk!Adorei esse texto.Preciso fazer isso...Um beijo grande e linda semana!!!

benechaves disse...

Bom domínio do diálogo num texto enxuto e de feitura exemplar. Ah? Hein?

Um abraço...

Claudio disse...

Meus comentários são sempre repetitivos. O texto é fantástico e com um bom humor maravilhoso. Mas isso todo mundo sabe, né?

abs

Mani disse...

Eu adoro quando voce disseca cotidiano assim...ADORO!

R.C disse...

O senhor "É fantástico tuuum (interjeição ironizando a abertura do programa Fantástico, da TV Bobo & Retardada Iltda)!

abrax

RF

Serbão disse...

o melhor são os nomes dos personagens. Albérico, assim proparoxítono, é um dos bons.

rubo medina disse...

Sem dúvida, casamento é isso também, padrão na interjeição.
Abraços e parabéns pelo texto.
http://napontadolapis.zip.net
http://dulcineia.blogspot.com