23 abril, 2007

COMPREI UMA BICICLETA ERGOMÉTRICA (CAPÍTULO 2)



Ao comprar a bicicleta, pensava que estaria me livrando do principal problema que vinha afetando a minha saúde nas últimas semanas: as reiteradas e infindáveis reclamações da minha mulher.

E, sendo mais inocente que a religiosa de Diderot, imaginava que a dificuldade, no que tangia à bicicleta ergométrica, se resumiria a enfrentar as pedaladas diárias. Eis que tenho tanta aptidão para o esforço físico quanto um concretista para escrever poemas.

Em todo o caso, achava que me desincumbiria da tarefa com relativa facilidade. Afinal, sou brasileiro há 32 anos. E, como todos sabem, a bicicleta ergométrica é igual ao Estado nacional: muito cara, não sai do canto e serve apenas para cansar o usuário. Já estava, portanto, habituado.

No entanto, logo percebi o meu engano e me dei conta de que, se as pessoas chegam a perder calorias no trato com este infernal aparelho - que, a exemplo de um discurso do FHC, não leva a lugar algum -, isso se deve única e exclusivamente ao fato de que ele vem desmontado.

- Ué? E cadê os montadores? – falei, olhando para a caixa fechada que os entregadores, com um sorriso sarcástico e após fitar minha barriga, deixaram na sala.
- Pelo preço que a gente pagou, tu ainda queria que eles montassem? – retrucou minha mulher, algo impaciente.
- Pelo preço que a gente pagou, o mínimo que eu esperava era que eles montassem e pedalassem as primeiras trinta horas. Então, cadê o botão?
- Que botão?
- O que a gente aperta e a bicicleta se automonta.

Sem dizer absolutamente nada, ela pôs uma cara tão simpática quanto a de um samurai com prisão de ventre e me apontou a caixa de ferramentas. Demorei a entender o que estava insinuando, por três razões:

Primeiro, porque, como comprova a ciência, o álcool destrói nossa capacidade de raciocínio. Segundo, porque o manuseio de ferramentas é algo tão simples para mim como a leitura de “Ulysses” em tradução alemã. E terceiro, porque... Bom, terceiro, não me lembro, afinal o álcool também acaba com a memória e a concentração.

(CONTINUA AMANHÃ)

24 comentários:

Urariano Mota disse...

Marconi, primeiro do que tudo agradeço o teu generoso comentário em http://urarianoms.blog.uol.com.br/
Segundo, repetir agora o que afirmei lá em resposta a teu comentário: bom humor, inteligente, recebe quem te visita aqui. Abração.

Anita disse...

oi Marconi,
você tem toda a razão: precisamos a aprender a votar em quem tem metas, e ações.

quero ver o fim dessa bicicleta ergométrica. Tô fazendo terapia lendo o teu blógue pelas manhãs, e de graça. u-hu

beijos.
Anita

edu disse...

Meu amigo, eu já tive ergométrica, aquele tal de "step" (que tentei usar no carro quando o pneu furou mas não adiantou...), bicicleta de verdade (tão de verdade que custou 700 paus e ficou pra irmã...) e ACM (queria ver os tios pelados no chuveiro - água gelada da piscina digamos "diminuiu" minha alegria). Agora, vou tentar fazer as coisas no chão, mesmo. Pelo menos se não me exercitar, eu durmo.

Juízo passou lá em casa e eu soltei os cachorros em cima dele.

Gustavo Chaves disse...

nada contra os concretistas, mas adorei a comparação de aptidão!
hauhauhauhuahauha

anjobaldio disse...

Caro Marconi, obrigado pelas visitas. Seu blog também está muito bom. Grande abraço.

Yvonne disse...

Querido, vou aguardar o resto. Beijocas

Jens disse...

Ai, ai, ai...
Mais uma história sem fim.

sandra camurça disse...

Ui, ui, ui...
Só vou comentar no final: tenho Q.I (que ir). Inté. Beijos.

Cabamacho disse...

Meu caro, bicicleta ergométrica e cabide, pra mim, são sinônimos: só servem pra pendurar roupa.

Franciel disse...

Marconi, depois dos seus relatos, agora compreendi aquela fundamental questão metafísica: "Não sei se caso ou se compro uma bicicleta".

GUGA ALAYON disse...

aproveite e faça uma adaptação para motor à álcool nela( a bici, não sua mulher que obviamente já deve ter uma adaptação).
abç

Mani disse...

Voce me diverte, e muito!!!

Again and Again disse...

Sim, o amor já foi mais fácil, não tanto quanto andar de bicicleta, mas igualmente inesquecível.
Apareça sempre.

Ophélia

Wagner disse...

Pelo andar da carruagem é bem provável que em breve você escreva uma nova série (ou então um post único): VENDI UMA BICICLETA ERGOMÉTRICA.

F. Reoli disse...

Ia comentar, mas... esqueci... ic, ic...
Rs
Abraços

Tina disse...

Oi Marconi!

Ganhei a noite... adore seus textos. Vou esperar o final, tá?

beijos querido,

Márcia(clarinha) disse...

Depois da montagem com sucesso absoluto garanto que vai dormir a semana todinha pra relaxar,rss. Aguardo o resto sentadinha aqui, beijossssssss

cilene disse...

Sabe o que e pior?..e ver essa coisa todo dia na sala da gente..onde eu jogo isso mesmo????

Marco disse...

Rá! Rá! Rá!...
Fico só imaginando como essa história vai acabar... Vir aqui é certeza de que vou passar o resto do dia rindo sozinho, imaginando as situações que você descreve.
Boa semana. Carpe Diem. Aproveite o dia e a vida.

sidnei disse...

Ahahahaha... solicitamos a compra de uma aqui pro trabalho, pra uma 'abordagem terapêutica' com os pacientes e qdo chegou aquela caixa toda compacta eu tb fiquei me perguntando... quem é que vai montar essa porra???!!!

Jens disse...

Só agora dei-me conta: energúmeno é? Tá legal, tá legal. Ia manter em segredo a história do Ananias - agora vou divulgar (lá no Reação, onde é improvável que me alcance um processo por calúnia, injúria, difamação e danos morais).
Aguardai e tremei, Marconi Leal. O que é teu tá guardado (o Ananias que o diga).

Manoel Carlos disse...

Você poderia seguir o conselho de Çilva, o çábio çóbrio, pois ele disse que o "etanol deminuirá a caloria do planeta".
Você lê tanto, tem talento e não consegue fazer piada com tanto impacto quanto nosso apedeuta-mor.

Kah disse...

Nossa, você me faz rir, seja qual for meu estado de espírito,hehe...Por isso adoro passar aqui, mesmo que atrasada...Adorei a cara da tua esposa ao ti mandar a caixa de ferramentas!!!!Um beijo vou lá ler a 3ª parte!!!

Ane Brasil disse...

kuaaaaaaaaaa! véio, isso tá cada vez melhor.... só que ando meio preocupada contigo: primeiro tu fez regime, depois parou de fumar... e agora tu compra essa geringonça ergométrica... tsc, tsc, tsc, assim tu vai acabar te matando,ô vivente! hejehehehe
Sorte e saúde pra todos - sobretudo pra sua simpática esposa e seu eficiente rolo de massa!