22 fevereiro, 2007

O DRAGÃO


— Vem, Ari, tira o cinto...
— Pronto, pronto.
— Chega mais perto, chega... Abre o zíper...
— Assim?
— Isso, Arizinho, baixa a calça... Agora, a cueca... Isso... iss... Ariovaldo? O que é isso, Ariovaldo?!!
— Meu pinto, ué!
— Não, Ariovaldo, em cima do pinto!
— Fimose?
— Ariovaldo, meu Deus do Céu, o que foi isso que você fez no... nos...
— Depilação artística. Gostou?
— Você cortou os pêlos pubianos em forma de borboleta, Ariovaldo?
— Assim você me ofende. Eu lá sou homem de fazer desenho de borboleta em pêlo pubiano? Sou macho! É um dragão. De asas abertas. (abana os braços como asas) Uaah! Uaah!
— Que é esse “uaah”? O dragão tá de ressaca?
— Não gostou, amor?
— Se eu gostei? Esse dragão tá a cara do Bozo! Qual era exatamente a tua idéia? Fazer uma homenagem ao Sílvio Santos?
— Pô, amor, você não disse que as coisas tavam meio paradas e tal, que era preciso variar? Então eu achei que...
— Que se colocasse uma peruca no pinto as coisas iriam melhorar?
— Pois fique a senhora sabendo que o dragão é um símbolo de fertilidade na China Antiga, tá entendendo? Uaah! Uaah!
— E eu lá tenho cara de semente pra ser fertilizada, Ariovaldo? Eu só queria fazer sexo com alguém que não tivesse suíças...
— Quanta ignorância! Você não tem cultura, mulher. Trata-se de um trabalho artístico.
— Sei. E, pelo visto, o artista era dadaísta, né? Só isso explica que o corpo do dragão seja tão menor que as asas.
— Epa! Insulto, não, hein?
— Santo Cristo... Que foi que te deu na cabeça pra fazer uma coisa dessas? Você tem quase cinqüenta anos, homem! Onde foi que você fez isso, me diz?
— Onde! No salão de beleza, ora essa!
— Foi uma mulher que fez isso em você?
— F-foi. Quer dizer... Uma senhora... Uma velha... Gorda.
— E ela ficou segurando o teu pinto, foi?
— Bom... Só nos primeiros segundos...
— Deu, Ariovaldo! Sai do quarto, sai!
— Você não acompanha os tempos modernos, Maria Regina.
— Sai! Sai daqui, já disse. E leva esse dragão com você.
— Olha que você vai perder, hein?
— Perder? Perder o quê?
— Uaah! Uaah!

Nenhum comentário: